5 de junho de 2009

Bilhete 1


Eu descobri que quando a gente quer dizer muitas coisas, ou melhor, traduzir muitas coisas, as palavras meio que somem. A gente fica buscando e rebuscando coisas já ditas, fica tentando dar nome aos sentidos, aos sentimentos, ás emoções.
Mas realmente, não dá pra colocar um nome no coração que pula toda vez que você me abraça, muito menos na minha vontade de sorrir toda vez que você me olha.
E o que importa a falta de palavras agora? Não importa.
Algumas coisas passam a fazer sentido quando elas faltam, e alguns momentos se tornam eternos quando elas somem.
Mas tudo bem.
Eu vou continuar escrevendo bilhetes, e vou jogar por aí, pra você ir encontrando ao longo do seu caminho. E mesmo que nenhum deles consiga dizer com totalidade o que realmente o garoto do olhar mais doce do mundo me faz sentir, eu vou continuar escrevendo só pra te lembrar que eu sou seu amor e que eu estou sempre aqui.

3 comentários:

Felipe Braga disse...

Belíssimo! De uma sensibilidade e de um romantismo muito puro e gostoso de ser apreciado.
Parabéns.

Priscila Rôde disse...

Oi Letícia, lindo o seu blog!
Adorei o comentário que deixaste no meu, e tenho refletido muito sobre o que disse, faz muito sentido!
Em relação ao meu layot, eu peguei no site: http://btemplates.com/
Tem inúmeras opções!

Beijos querida!

Hosana Lemos disse...

Ow flor, tão meigo ,tão simples e ao mesmo tempo de uma serenidade bela!

Adorei o blog, você escreve bem!

bjão pra vc!
=*