29 de junho de 2009

Não sei nada



E eu que achava que sabia de tudo?
Sabia da vida, sabia do amor, sabia do mundo
Me enganei.
E nessa sabedoria eu distribuí conselhos
que todo mundo seguiu, conseguiu, e foi feliz.
Mas a verdade é que eu nada sei.
O que é o mundo me diz?
E a vida? E o amor? E o porque da dor?
Pra aprender? Pra crescer? Amadurecer?
Porque não sei? E pior, o que serei sem nada saber?
Mal sigo os meus próprios conselhos, e, mal consigo achar as minhas próprias respostas.
Mal curo as minhas cicatrizes, mal me recupero das minhas ilusões mortas.
Me entupo das verdades e frases que encontro nas entrelinhas.
Não sei se vou seguir, se vou conseguir ou apenas ficar aqui
Não sei nada e essa é a minha realidade.
E o amor, a vida e o mundo me serão sempre uma eterna, e nem sempre terna, descoberta.
Há sempre um segredo a mais, uma dúvida diferente, uma certeza incerta.
Só me resta viver.. e pagar pra ver.

2 comentários:

Felipe Braga disse...

Ora, mas é exatamente isso que move o homem. E aquela frase?
"O homem que já pisou na Lua não tem mais objetivo algum na Terra."
Também não sei nada. E é exatamente isso que me impulsiona para o amanhã.
Beijos.

Pedro Antônio disse...

Legal demais o seu texto!

Adorei, adorei!

Obrigado por colocar a torre em lugar de destaque no seu blog (e no seu coração)! :)

Estarei sempre por aqui!

Um beijãooo.

Pedro Antônio - TORRE MÁGICA