Caixa de Correspondência

Deu vontade de escrever cartas, principalmente aquelas que trazem coisas que não conseguem ser ditas pela boca. Há também aquelas que eu nunca poderei entregar, mas eu acredito que se eu ler elas bem baixinho no meio da noite, as minhas palavras entrarão nos sonhos de alguém. E então, essa minha pessoa vai saber todas as coisas que eu tenho e gostaria de falar. Que coisas? Não sei ao certo.

Carta 23
Carta 22, somos tão jovens
Carta 21: blusa amarela, saia, tênis e abraço
"Why didn't you try harder? You just left"
Carta 20: amores, perdas e legados
Carta 19, entre bolhas e garrafas eu entendi o autismo
"You don't know how lovely you are"
Carta 18, seu primeiro amor
O lado esquerdo e direito do abraço
Carta 17, dez de outubro
"Valsinha V" sempre foi a minha favorita
Carta 16, a fuga
Você é a saudade que eu gosto de ter
Eu acredito em tanta coisa engraçada
Para B.
Carta 15
Carta 14 - 25 de maio, what all we need.
Carta 13, 07h23 a.m
Carta 12: "I miss my dad"
Carta 11
Carta 10
21 de maio
Amor: o que se aprende no limite sem nenhum pingo de limite
Carta 09
Carta 08
Carta 07
Carta 06
Carta 05
Carta 04
Carta 03
Carta 02
Carta 01




Um comentário:

Elen Araujo disse...

Sou uma romântica incorrigível,finjo não ser mais sempre acabo cantarolando aquelas musicas que me fazer lembrar alguém, ou algum momento marcante na minha vida.Digo que finjo não ser, para não me machucar, pois já sofri muito por pensar estar caminhando junto com alguém e esse alguém estar em outra direção sem ao menos me avisar.... E como você disse sempre gostei de escrever cartas que nunca foram entregues, ou uma carta falando dos meus sonhos e desejos, e eu pensava, quem sabe um dia alguém possa ler e saber o quanto eu o amo!Elen