10 de agosto de 2009

tem cheirinho de vida lá dentro

Olha, lá dentro eu encontrei o céu mais azul desse mundo com nuvens de algodão em forma de cachorro, chapéu e borboleta. O chão é feito de grama verde com aquelas flores coloridas no canto que toda vez que bate o vento, vem aquele cheirinho gostoso de vida.
O quintal é tão grande, mas tão grande, que todo esse espaço me deixa ver crianças correndo e brincando de pega-pega e amarelinha, com as mãos todas meladas de pirulito de coração.
E sempre é assim, eu abro a janela e deixo entrar todo o caminho colorido. Eu quero ouvir todas aquelas risadas infantis que me fazem tão bem, e deitar naquela grama verde só pra inventar histórias com todas as formas de nuvens que existem nesse céu.

E mesmo que o meu quintal diminua de vez em quando, que as crianças não venham todos os dias e que meu céu ás vezes fique sem nuvens ou nublado, eu não vou me importar.
Desde pequena, eu deito no chão para pensar flores... e tudo porque a imaginação sempre tem, e sempre traz, aquele cheirinho gostoso de vida.

5 comentários:

disse...

Imaginei uma grama verde daquelas de doer e, quis muito deitar no meu sonho. Obrigada por esse quadro lindo!

Darlan Rocha disse...

Que doce...

Marc. disse...

é apaixonante te ler, sempre. =)

Marilis Dutra disse...

Muito bom seu post
adorei seu blog vou add
aos favoritos
=Pp

Anna Barreto disse...

Fez-me sentir cheiro de vida.
Gostei do blog e das palavras!
=]
Beijos