16 de agosto de 2009

Confesso,

não deixo ninguém ir, não deixo ninguém partir. Tenho um medo tão grande de perder pessoas que eu as guardo, eu as seguro, eu nunca deixo elas irem de verdade. E constantemente, eu fecho os olhos e sinto cheiros, e dou abraços...

De certa forma, eu quebro toda a lógica e toco quem já "se foi".

2 comentários:

Antonio Gerent disse...

Sabe que não conseguiria ser assim? Coisas da vida...

Beijo

Letícia Santos disse...

Eu acho que eu não conseguiria, se ás vezes, não fosse assim

pelo menos ás vezes;