15 de maio de 2013

Outro texto sem destino

um texto para os meus amigos
Tempo Perdido by Legião Urbana on Grooveshark                                              

Estamos todos virando adultos. É, e não tem volta. Não esqueço daquele texto do Bernardo Biagioni se perguntando "Para onde estamos indo?" após seus três anos de profissão e de estrada. Estou nos meus primeiros meses de jornalismo, no trânsito às nove da manhã, nas trinta e algumas poucas horas a mais de trabalho por semana, nas peças de teatro, no "happy hour" com o pessoal do trabalho, nas festas dos amigos do colégio, no cinema em plena terça-feira e em todo lugar sem cansar de me perguntar: Para onde nós todos estamos indo?



E não é só comigo. É com o meu amigo radialista, a menina que quer trocar de curso e com o o cara que acabou de começar o TCC. É com o menino perdido em outra cidade e querendo voltar, com o que largou tudo para fazer um mochilão, com o que foi morar em Ipanema e "Nossa Lê, eu tô a-do-ran-do!". Essa dúvida também está batendo naquele que comprou o carnê do INSS, porque ainda não arranjou emprego fixo, com o que começou a pagar o empréstimo que fez no banco e também com o que reclamou do fato de precisar declarar o imposto de renda no ano que vem.

Na turma dos que se perguntam para onde estamos indo tem quem inventou uma desculpa e faltou no trabalho para emendar o feriado, tem o que não quis perder tempo e emendou a pós. Tem quem decidiu entrar na academia, começar a terapia, fazer um curso de cinema, trocar o guarda-roupa, virar blogueiro, criar um podcast, ter uma coluna no blog nerd e comprar o Iphone 5. Tem quem largou o jornalismo, a matemática, a engenharia de alimentos, o turismo e decidiu prestar o vestibular mais uma vez. Não tem ninguém querendo virar escritor, perder a melhor festa do ano, não conhecer uma garota legal ou perder o contato com o cara engraçado do trabalho.

São todos os meus amigos e estão todos indo para algum lugar. Ninguém sabe de verdade o que está acontecendo, mas todo mundo desconfia: estamos crescendo e estaremos sempre. Não sabemos para aonde exatamente o futuro vai dar, mas continuamos vivendo e sendo empurrados por essa vontade de ser feliz e ter coisas bonitas para contar.

Isso porque parar agora não vale e desistir agora não dá, nós todos caímos nesse presente incerto e acabamos de começar. Respirar fundo e decidir continuar seguindo em frente vai fazer toda a diferença no caminho, você vai ver. Mesmo sem saber com quem, fazendo o que, quando, onde, como ou por que.

Estamos todos virando adultos e eu tenho medo de ver alguém se cansar, desistir e decidir parar com tanta vida esperando o desenrolar da nossa história. É clichê dizer que a gente tem que tentar ser feliz? É, e não tem volta. Mas tudo bem,  ninguém se importa.

Letícia Cardoso

3 comentários:

Camila Mancio. disse...

Este blog é lindo demais!

Letícia Cardoso disse...

você que é :)

Carlos disse...

ninguém nunca sabe pra onde vai, mas acho que isso é bom. seria chato demais saber. o importante é só não cair no clichê.